terça-feira, 7 de junho de 2011

ZONA VERDE E PARQUE INFANTIL EM RIO DE MOURO

Pois é verdade...ou antes...não foi verdade!

São as noticias e os políticos que temos.

Na passada semana, o chamado site da Câmara Municipal de Sintra, com o título "RIO DE MOURO COM MAIS UMA ZONA VERDE E PARQUE INFANTIL", divulgava mais um "jardim e parque infantil", "cujas obras de construção arrancam já no próximo dia 6 de Junho".

A propaganda, curiosamente uns dias antes das eleições, cumpriu instruções muito específicas que envolveram patamares, plataformas, jardim, ciprestes e, até um miradouro. Isto para não falar em estacionamento ordenado.

Pois é verdade...bem, diga-se a verdade: Hoje, dia 7, nada tinha arrancado, como as fotos mostram.




Enfim, que se pode dizer mais?

4 comentários:

Amadeu disse...

O espaço entre estes prédios é ao lado da casa do secretário da junta de freguesia. por isso vai ser parque infantil e de lazer. só estão cá para resolver os problemas deles.

António Luís Lopes disse...

Mais uma denúncia acutilante e demonstrativa da apagada e vil tristeza em que mergulhou o nosso Concelho (Rio de Mouro é apenas um exemplo...), com esta "gestão" de Direita!... Um abraço, caro amigo.

Amadeu disse...

Gostei do que disse sobre Rio de Mouro, (quem o viu à uns anos atrás) e quem o vê agora, triste e abandonada,pelos autarcas locais que nada fazem apenas se passeiam,brincam aos afectos com um grupo de idosos,festas e pouco mais, é como um barco à deriva e sem rumo. Caro António Luis,deve ler o jornal digital cidade de viva, publicado no dia 25 de Abril,
página 3 e faça seu juizo

Rui disse...

Eu vivo neste sítio há 12 anos, e durante este tempo tenho lutado para a requalificação deste espaço, e as respostas que tinha da câmara é que o caso estava em tribunal e que o terreno ainda não tinha sido recepcionado pela Camara de Sintra, por problemas com o impreiteiro. Neste momento as obras estão a decorrer( embora a um ritmo lento). Se o secretário da Junta mora aqui, também moram a outras centenas de pessoas, com filhos, que têm direito a um espaço novo.