quinta-feira, 2 de julho de 2020

SINTRA: BASÍLIO HORTA, A POLÍTICA DO TROPEÇÃO

De tropeção em tropeção

Basílio Horta, que não pode ter sido escolhido pelo PS pelas suas qualidades para autarca, tem feito jus ao seu carisma desadequado à defesa da vida dos munícipes.

Tais qualidades pululam quando um ou outro fã se roça no tapete da bajulação, não só habilidosamente à espera de algo ou por gratidão a recompensas tidas.

E assim Sua Excelência vai vivendo, desaparecendo de dar a cara pelos problemas que passamos e não deixando de difundir acções que louvadores saúdam...

Sua Excelência tropeça demasiado para as responsabilidades do cargo que ocupa, dizendo ou desdizendo, contando certamente com o esquecimento colectivo.
"Nós não devemos esquecer...nós não devemos esquecer", palavras recentes  de Sua Excelência, no 25 de Abril em que disse "participei nesta luta pela liberdade". 
 O falhanço das medidas (não) tomadas pelo presidente da Câmara, foi um tropeção no combate ao Covid19 com reflexos gravosos na vida de milhares de pessoas.

Desde o início e depois com casos conhecidos em Sintra, resguardou-se no dito pela Directora-Geral de Saúde aproveitando-as para justificar a inacção na pandemia.

Sem poder adiar por mais tempo, numa atrasada sexta-feira (dia que os manuais recomendam para más notícias) debitou umas coisas para diluir a má imagem.

Na sexta-feira (20.3), Sua Excelência, pouco visível no combate, ressuscitaria com as habituais vacuidades: "Vamos", "vamos", "temos", "vai"...até "Delay"!

Seguindo regras de manuais para boas notícias, anunciou para a segunda-feira seguinte  a "1ª. Reunião do Conselho Municipal", sem indicar qual deles entre vários. 

Até hoje, pesem várias pesquisas no site camarário - que Sua Excelência coordenará - não conseguimos apurar se a Reunião se realizou e que conclusões se retiraram.

O tropeção dos Centros de Diagnóstico 

Lesto face à exigência colectiva, logo Sua Excelência anunciou 3 (três) Centros para Despiste Rápido da Covid-19, novo tropeção, pois só um abriu e limitado.

Na Sessão de Câmara de 19.5.2020, foi dito que no único Centro "não são feitos testes" e reduzida a afluência, pois o número de infectados "tem vindo a aplanar".

Nota-se que, aquando da Sessão Camarária em que "tem vindo a aplanar", havia 899 infectados e, um mês e meio depois, em Sintra conhecem-se 2753!!!

Este um resultado de que Sua Excelência terá um dia de responder pela insuficiência da actuação, falta de intervenção que, como responsável, está obrigado a ter.

Site camarário e a desinformação

Neste panorama tão preocupante sobre a segurança sanitária em Sintra, o site camarário dá todos os sintomas de ser uma fonte de informação oficiosa não credível.

A pandemia a crescer e o site camarário de que Sua Excelência é responsável, a limpar a ineficácia no terreno com gratuitas notícias de diversão.

Ora nos desviou para um "alerta" sobre "notícias falsas", ora meteu os munícipes mais crédulos  em busca de "um milhão de máscaras através das caixas de correio".

Recentemente, perante queixas pela falta de transportes, anunciou "Vimeca reforça oferta de serviços rodoviários" que em Sintra apenas envolveu três curtas carreiras.

Sobre a Scotturb, a transportadora com maior cobertura do território, que esteve vários meses com reduções de oferta próxima dos 60%, manteve o silêncio.

Colaborando na propaganda, o site que exclui espaço para a  Oposição, entra num estranho "Esclarecimento" sobre afirmações de dois Vereadores da Oposição.

"O município de Sintra esclarece os factos ocorridos", é uma peça inacreditável, pois os Vereadores da Oposição fazem parte do Município.

São demasiados tropeções, aproveitamentos, quiçá tentativas de aproveitar clivagens entre partes, sem cláusulas mas que qualquer nomeação supera.

Será que Sua Excelência não tem - numa altura de tanta gravidade - mais nada que fazer do que contestar afirmações de dois Vereadores? 

Sintra não pode ser gerida assim, merece o maior respeito.




quinta-feira, 18 de junho de 2020

SINTRA: O ENTUSIASMO DE VIVERMOS ENGANADOS...

Devemos confessar que ontem esperámos pelo saltinhos patéticos de quem nos governa a propósito do anúncio de uns tantos jogos para uma competição europeia.

António Costa não saltitou, mas via-se-lhe a alegria por ter uns jogos de futebol, em princípio sem espectadores, facto que limitará os contágios com Covid-19. 

O mais Alto Magistrado da Nação discursou e falou às voltas, como um parafuso de rosca moída, sem sélfies mas na unidade fraterna com o cheiro da reeleição.

Ficámos sem saber que medidas diárias tomam para garantir aos cidadãos os direitos que têm no acesso à saúde, ao trabalho, à segurança nos transportes. 

Que se lixem os cidadãos que, nesta fase e com más perspectiva futuras, começam a sentir o sofrimento por que vão passar as suas famílias num futuro próximo.

Inventou-se o modelo de sermos admirados pelo que fazemos, parece até, pelo que dizem, que o mundo nos inveja, tudo de boca aberta, pelas virtudes exibidas.

Aumentam  número de infectados na Região de Lisboa? Então fazem-se as contas, em tantos mil habitantes os detectados são poucos, abaixo das médias...

Então, para isso, ocultam-se onde são os casos, um lápis azul fortíssimo impede os cidadãos de saberem onde são os óbitos, que podem ser vizinhos do lado. 

Se ao nível governamental isto se passa, depois no Poder Local tudo se completa, às vezes com a fidelíssima de quem acha todos os momentos de louvações.

A gestão ao sabor de habilidades

Scotturb, em 18.6.2020 continua em Plano de Contingência com horários de Sábado

Uma da formas de contágio mais citada é a dos transportes, com incidência nos rodoviários, porque há regras que aparentemente ninguém fiscaliza. 

As pessoas reclamam pela falta de transportes, a transportadora há meses que está em Plano de Contingência, concentram-se dezenas à espera de uma carreira. 

Mas o Primeiro-Ministro, que a nível partidário parece gostar de dar saltinhos, está-se nas tintas por exigir que as transportadoras cumpram com os compromissos. 

No caso de Sintra até é curioso que a Scotturb - com a ajuda camarária - se prepare para acabar quase com as carreiras que fazia, ficando o território ao seu gosto.

Bem, ao gosto da Scotturb, com o apoio quase certo da autarquia. 

Na sessão de Câmara de 19 de Maio deste ano, mesmo em estilo soft, dois Vereadores alertaram para queixas que recebem sobre algumas carreiras.

O Vice-Presidente, respondeu: "tivemos uma boa resposta das empresas" e "adaptámos os horários dos autocarros com os novos horários das escolas".

Tão conhecedor o Vice de Sua Excelência, que para ele utentes de transportes públicos serão os estudantes...ficando a empresa livre para o incumprimento...

Os outros, que diariamente precisam de se deslocar para o seu trabalho, que se lixem e viajem em condições pouco aceitáveis e esperem horas por transportes.

Neste quadro nos movemos, com políticos que gostam que vivamos enganados, que precisam de um ou outro - ou outra - que os elogiem...mesmo que sem sentido.

Os 2105 infectados em Sintra e dos Óbitos quantos ocultados, é o espelho da manipulação com que somos enganados...

E há quem, sem saltinhos, ainda se disponha a dizer-lhes que #é este o caminho.


segunda-feira, 8 de junho de 2020

SINTRA: SR. PRESIDENTE, RESPEITE-NOS...E...DEMITA-SE!

"Nós não devemos esquecer...nós não devemos esquecer", Basílio Horta em mensagem sobre o 25 de Abril



Sr. Dr. Basílio Horta, está obrigado a respeitar-nos

Pelos dados hoje divulgados, Sintra subiu ao segundo (2º.) lugar do pódio que envergonha todos os sintrenses, vítimas das políticas hábeis de Sua Excelência.


Um vergonhoso lugar no pódio da epidemia

A realidade sintrenses que corre mundo

Desde o princípio da pandemia que o recurso a discursos de circunstância nos foi deixando pasmados com o vazio completo das medidas a tomar, com reflexos hoje. 

Oficialmente, há 1615 munícipes infetados, vivem ao nosso lado e não sabemos em que condições foram contagiados, o que deveria preocupar Sua Excelência.

Em vez disso, Sua Excelência surge supostamente preocupado com a desarticulação dos dados ao invés da identificação dos focos, freguesias e comunidades.

Desde o início da pandemia, sem acções concretas - teve sempre meios financeiros disponíveis - optou antes pelo adiamento e, depois, as ilusões como saída.

Sintra já ia com casos graves assinalados e Sua Excelência ainda falava em "reflexão", "vamos começar a articular", uma "1ª. Reunião do Conselho Municipal". 

Enganou-nos ao falar em 3 Centros de Atendimento que tinha de saber ser apenas Um. Usou máscaras que, pelos erros na distribuição, foram desviantes da realidade.

Se Sua Excelência em vez da promoção com vista a futura reeleição desse valor aos munícipes teria brilhado na sua defesa nos vários estratos e locais.

Preocupou-se com os transportes? Impôs (competia-lhe) a reposição de carreiras rodoviárias suspensas a pretexto do Plano de Emergência (que continua)?

NÃO!

A indignação (?) de Sua Excelência ligou-se com o "alarme social" pela contagem feita na Direção Geral da Saúde, dados que não conseguiu se apagassem.

Porque, facilmente se retira a convicção, o desejo de Sua Excelência seria que os dados da Direcção Geral de Saúde fossem publicamente censurados pela omissão.  

Com a população tão preocupada, então o site camarário que serve Sua Excelência fez por nos desviar para o "Galardão" atribuído a praias que os infetados não utilizam.


Nítida propaganda desviante, enquanto sintrenses são infetados e alguns morrem

Sua Excelência devia - sim - dar toda a prioridade, com os custos que sejam necessários, para medidas sanitárias eficazes que defendam as populações.

O lamentável 2º. lugar do pódio deve-se às más políticas de Sua Excelência, à atrasada visão estratégica do combate, ao afastamento que tem das pessoas.

Os infetados, sejam quantos sejam, têm o direito de Sua Excelência os respeitar totalmente e providenciar até ao limite, para que sejam eliminados focos em Sintra.

Respeite-nos...Demita-se! 

A quem serve a ocultação de Óbitos por Concelhos?

Porque será que Sua Excelência não manifesta idêntica indignação pela ocultação dos Óbitos por concelhos, números que certamente o indignariam muito mais?  

Ao princípio havia - por vezes - a décalage que nos trazia preocupações e ansiedade sobre o que surgiria no dia seguinte, mas de autarcas nunca vimos preocupações. 

Parece indicar que, na questão dos Óbitos, ao invés de Infectados e Recuperados, a ocultação dos municípios é bem aceitada no jogo da limpeza de imagem.

Todos os dias, à hora certa, ficamos às espera dos óbitos anunciados.

Todos os dias, a Sua Excelência servirá que sejam ocultados os Óbitos em Sintra, ficando assim liberto de se saber o seu número para não "causar alarme social".

Demita-se, Senhor Dr. Basílio Horta, não é dono das nossas vidas. 

Sintra não merece o sofrimento que todos estamos a passar. 

quarta-feira, 3 de junho de 2020

SINTRA: ESTRANHA "OMISSÃO" DE NOTIFICAÇÕES MÉDICAS

Quatro dias sem "notificações" de  infectados em Sintra

Entre os dias 29/5 e 1 de Junho, ocorreu a estranha omissão de 182 infectados em Sintra, situação assaz preocupante que pode descredibilizar o Ministério da Saúde.

Vejamos as letras pequeninas (que aumentámos...) do Relatório de Situação nº. 92, de 02 de Junho de 2020, emitido pela Direcção Geral de Saúde. 


(Estrelinha que levará à luz)

(A redentora luz sobre a verdade)


Repudiamos que se liguem as "actualizações" - antes "Omissões" - ao esforço meritório de Clínicos que merecem todo o nosso respeito e efusivamente saudamos.

Então quem participou ou influenciou na omissão da escalada de pessoas contaminadas em Sintra, face ao número elevadíssimo que teria de ser conhecido?

Na realidade, enquanto se falava no bairro da Jamaica e Seixal, ou Amadora e Loures, ou Odivelas e Cascais, era em Sintra que estava o risco mais elevado...

TVI (29/5/2020) território de Sintra assinalado como Amadora

O noticiário da TVI no dia 29 de Maio até limpou Sintra do mapa, assinalando o nosso território como se se tratasse da Amadora.

Sintra, em quatro (4) dias aumentava de 182 os infectados, atingindo 1355 casos e subindo na escala dos municípios mais atingidos para 4º. lugar no ranking.

Tudo leva a crer que foi preciso a Ministra da Saúde vir a Sintra ou até ter dado um murro na estrutura da verdade, para que viesse a público a "Actualização". 

Promoções baratas de Sua Excelência

Infelizmente, com mágoa o dizemos, a grave situação em Sintra do Novo Coronavírus foi mais uma pedrada no charco das promoções políticas de recurso. 

Com impensável atraso sobre o início do surto, só o sucedido num lar na Idanha faria Sua Excelência aparecer, barriga para a frente, a anunciar medidas na nuvem.

Estava no zero e fazia de entertainer: "reflexão", "temos olhado com serenidade", "nossa câmara está atenta", "vamos por em prática", "vamos começar a articular".

Só então anunciava: "segunda-feira 1ª. Reunião do Conselho Municipal".

Seguir-se-ia a promoção de 3 Centros de Atendimento quando teria dados para ser só um, em que três terão sido os laboratórios concorrentes e pouco mais se soube...

No sinuoso caminho da gestão sem fins colectivos mas de promoção pessoal, um dia a zeros na contabilização de infectados fez saltar as trombetas do êxito:
"Temos de continuar este caminho", "obrigado a todos que se têm protegido e aos que têm trabalhado para proteger os outros"(8/5).
 O êxito de Sua Excelência em facebook subliminar: O seu caminho, ele grato aos que se protegeram e a ele próprio por ter trabalhado para proteger os outros. 

O falhanço de quem dá sinais de querer perpetuar-se no Ninho de Mont Fleuri sentiu-se no dia seguinte com a detecção de 48 novos infectados que foram aumentando.

Sem medidas de protecção sanitária, com fontes de contágio nos transportes, como o caso da Scotturb que continua reduzindo em 60%, era preciso desviar o tema. 

Foi a manipulação pelas máscaras...era preciso que todos andassem a caminho das caixas de correio à espera das máscaras e não falassem nos contaminados. 

Outro rotundo falhanço, as caixas de correio na grande maioria continuam vazias e, como se sabe, ontem a verdade teve de ser conhecida com os dados publicados.  

Sua Excelência tornou-se um político com fins e práticas que Sintra não merece.

Sintra merece mais...que os Sintrenses a tomem para Si.