segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

SINTRA: OBRAS CAMARÁRIAS, SOLUÇÕES OU COMPLICAÇÕES?

Aos visitantes deste blogue dirijo uma pergunta singela: - Há ou não responsáveis pelos diferentes projectos, acompanhamento da obra e aprovação para pagamento?

Mas há mesmo? Bem, às vezes, com custos suportados pelos munícipes,  vêem-se passar uns carros camarários a cujos ocupantes o zelo obrigaria a olhos atentos. 

Inventou-se uma aplicação (sintraresolve) talvez para transferir o ónus de alerta para munícipes, libertando servidores camarárias de tão cansativa diligência.   

Daremos só dois exemplos (havia muitos...) para que o cansaço dos leitores não seja maior que o dos responsáveis técnicos que podemos entrever sobre quatro pneus. 

Durante meses (a última em 15 de Janeiro deste ano) mostrámos os sinais de trânsito por ligar na Avenida Raul Solnado, nada serviçais para o fim em vista....

...que seria (farão o favor de desculpar a nosso tão ligeira convicção...) a garantia de segurança para peões, pese os perigos a que os mesmos estarão expostos.


Finalmente a funcionar 

Permitam uma Informação: - Funcionam há dias e esperámos a notícia em primeira mão no site camarário, com foto do cortar da fita e alusão aos milhões envolvidos...

Nada conseguindo ler nessa página de boa alma divulgadora de feitos, vimo-nos obrigados a tomar o êxito nos nossos dedos, batendo as teclas da indignação.  

Publicamos foto a mostrar como ficou a parte dos peões (seus utilizadores) - sabe-se lá se por ter sido próximo da hora do almoço ou de algo retemperador:



Resta-nos colocar aqui uma pergunta: - Que técnicos qualificados visionaram a obra e, eventualmente a deram por concluída, permitindo (se o foi) o seu pagamento?

Uma complicação...

Solução que gerou complicação...

Vamos, agora, ao segundo exemplo: - ENTRADA DA ABRUNHEIRA

Durante anos reclamou-se um Rotunda à entrada da Abrunheira, que - além de outras coisas - permitiria centralizar as paragens das carreiras da Scotturb. 

Em 2008, nesse local, um anterior autarca andava de Projecto na mão, mostrando a quem tinha paciência e tempo, como iria ser alterada a entrada da Abrunheira. 

Houve quem conhecendo o local o avisasse, lhe dissesse que era uma aberração, mas estava ganho pelas Obras Municipais...e fizeram...melhor se desfizessem.

De então para cá, o espaço reservado a descargas atafulha-se de carros que chegam a ser um obstáculo até meio da via, estaciona-se na passagem de peões. 

Faz-se perigar a vida dos peões, há atropelamentos por condutores que são obrigados a ultrapassar fora-de-mão sobre a passadeira. Foi Obra pró-anarquia. 

Sabemos porquê...

Uma "concessão": Estes dois condutores...deixaram algum espaço para o trânsito...

O pilarete na passagem de peões é sistematicamente destruído. O estacionamento construído pela Câmara para Descargas vai para além da protecção da passadeira

O estranho, mais estranho ainda, é que passam autoridades no local e nem se apercebem desta anarquia, situação perturbante para especialistas na vigia de Rotundas.

Passados quase 10 anos sobre este tão gritante erro das Obras Municipais, de frequentes alertas para o erro e para a anarquia, parece que tudo passa ao lado. 

Estaremos enganados? Os decisores desta "Obras" é que estão em plena faculdade das suas funções na obrigação de cuidar do bem estar colectivo?

Então Sintra merece mesmo isto...devemos seguir este caminho!


2 comentários:

João Diniz disse...

SOLUÇOES COM MUITAS COMPLICAÇÕES, DIRIA. Em São Pedro colocaram, agora, sumidores de pavimento em vez de sumidores de lancil (!?!?!?) É uma originalidade! Houve quem questionásse o empreiteiro OLIVEIRAS SA e o SMAS Ambos se justificaram ser a C.M.S. a autora do projecto. Não dá prestigio a ninguém. Há colocados 2 ou 3 sumidores de lancil mas parece serem antigos. De contrário, porquê 99% deles serem de "pavimento"?
É "crime". No Gandarinha, perto da Sabuga, estão a recuperar o edificio antigo (bem) mas, ao lado, nasce um mamarracho incrivelmente desenquadrado da arquitectura da zona. Afinal, parece ter sido aprovado no tempo de Fernando Seara, o tal recordado por não ter feito obra mas também nada estragar. Falso! O mencionado mamarracho é "crime" ao nivel do detestável Hotel Tivoli Sintra. E a DGPC aprovou. Como é possivel? E a UNESCO/SINTRA é de fachada?

Fernando Castelo disse...

Caro Visitante João Diniz,

A nossa gratidão pela sua visita e seus comentários.

Julgo que agora, para todas a anormalidades que em nome "da boa gestão", "dinâmica", para "desenvolvimento" "Postos de Trabalho", etc, é sempre fácil (5 anos depois) dizer que foi do tempo de Fernando Seara a aprovação.

Aliás, tenhamos como exemplo que o Plano da Abrunheira Norte foi arquivado por Seara e ressuscitado pelo actual Presidente da Câmara com os resultados conhecidos.

Quanto à UNESCO de Sintra (e a Central) é tudo muito estranho. Se quiser dirigir-se...vai parar a um Ministério que está gerido pela mesma força a quem Sintra está entregue e, claro, há sempre quem dê cobertura.

É por isso que temos Hotéis Centrais e fazerem o que querem, uma Câmara a construir uma Pousada de Juventude...cujo imóvel será propriedade das Infraestruturas de Portugal à custa do nosso dinheiro, um dito Hospital que não será hospital em todas as valências mas onde a Câmara diz aplicar mais de 30 milhões na construção que deveria ser do Estado, e há tuk-tuks, e há economia paralela, e há...e há...

SIntra alguma vez esteve assim? Não evidentemente. É uma luta desenfreada contra quem quer defender o património, quem quer melhor para Sintra, porque há quem disso tenha benefícios.
Um abraço