terça-feira, 25 de julho de 2017

SINTRA: SR. DR. BASÍLIO HORTA, NÃO "#É ESTE O CAMINHO"!!!

video

Finalmente tem um cartaz político. Do lado esquerdo (?!) do rosto de Sua Excelência lemos uma curiosa mensagem: #É este o caminho". Por baixo "para Sintra".

Nos últimos anos, a Sintra-sede, dos Palácios e História, louvada por figuras ilustres, tem passado ao lado de Autarcas eleitos para a defenderem. Que contradição.

Daí não encobrirmos que Sua Excelência (de novo candidato) é Presidente da Câmara e terá de assumir responsabilidades pelo que ocorre no território.

Notamos, sim, que um destino turístico com milhões de visitantes, não justificou que Sua Excelência criasse um Pelouro Exclusivamente vocacionado para o Turismo. 

Os resultados estão à vista...fugindo ao cartaz promocional em curso.  

Tocou-nos. Se fossemos alheios a Sintra, não ligaríamos ao cartaz e à mensagem, empanturrados com os milhões das promessas que tem feito.

Pouco depois de Sua Excelência tomar posse - Em 19 de Dezembro de 2014, a propósito da Estrutura montada no Central, também referimos a Rua dos Arcos (por favor clique para rever), - ainda nos convencíamos da capacidade zeladora.

Agora, perante arrastadas imagens que desconsideram o Centro Histórico de Sintra - julgamos que saberá ser Património da Humanidade pela Unesco - não podemos desligá-las das dificuldades de Sua Excelência em garantir ser este o caminho. 

Como é possível tão degradante imagem de higiene ambiental, de agressão ao que se deve oferecer a visitantes, de ofensa a Sintra e à sua imagem?  

Apontando - aos Sintrenses - "#que é este o caminho", será que Sua Excelência está convicto do que indica, de que estas imagens reflectem a intenção?

Os Sintrenses (em que nos incluímos) que sabem o que é amar Sintra, a sua Vila Histórica, o seu Rico Património a defender, sofrem pelo alheamento a que tem sido votada, com mostras de desleixo que nos envergonham.

Sua Excelência, ao promover, no estrangeiro, Sintra como destino turístico, pretenderá apresentar aos potenciais segmentos turísticos estas agressões ao prestígio de que Sintra tem gozado ao longo de dezenas de anos?

Imagina-se Sua Excelência, ali mesmo à vista da UNESCO, a desfrutar de uma refeição no meio daquele ambiente, com a visão que lhe mostramos?

Sintra, sua História, seu Património e Suas Gentes exigem o maior respeito.

Obviamente que NÃO #É ESTE O CAMINHO".






domingo, 23 de julho de 2017

POLÓNIA, NOSSO CONVITE PARA ESTE DOMINGO

Para os estimados visitantes deste blogue que nos acompanham nas viagens gostaríamos de notar que, depois da visita a Varsóvia (p.favor clique para rever), era indispensável fazermos uma viagem, mesmo rápida, pela Polónia.

A Polónia, cerca de três vezes e meia maior que Portugal, tem muito património da Unesco. É um Povo que ainda hoje luta, uma herança contra invasores, entre eles a Ordem dos Cavaleiros Teutónicos, que chegou a fundar um Estado no Norte do País. 

O nosso trajecto não prevê Gdansk (cidade portuária no Báltico) nem o Castelo de Malbork, mas deixamos aqui algumas imagens como desafio para outra viagem. 

Gdansk - Praça onde há muito comércio
Gdansk - zona ribeirinha
Castelo de Malbork - exterior
Castelo de Malbork - interior 

Renovaremos com uma breve passagem por Varsóvia,  seguindo mais para Sul.

Passeamos no centro de Varsóvia e, na visita ao Palácio Real, iremos rever a escultura de Copérnico, um cidadão polaco, matemático e astrónomo, que criou a teoria do heliocentrismo, provando que a Terra é que anda à volta do Sol.

Copérnico  
Rua no Centro de Varsóvia a caminho do Palácio Real 
Varsóvia, Palácio Real no Parque Lazienki

Varsóvia, o render da guarda junto ao monumento ao soldado desconhecido

Muito perto de Varsóvia, temos o imponente Palácio Wilanów, uma construção típica da Polónia misturada com a tendência da época na Europa. 

Palácio de Wilanów, a grandiosidade de uma época

É altura de caminharmos para o Sul, a caminho de Cracóvia nas margens do Rio Vístula, cujo Centro Histórico é Património Mundial da Unesco desde 1978. 

Antes passaremos pelo Santuário de Czestochowa, local de peregrinações e de fé.

Czestochowa - Imagem do Santuário dedicado à Virgem Negra

Czestochowa - A imagem da Virgem Negra 

Cruzando Katovice chegamos a Auschwitz-Birkenau e - junto dos fornos crematórios - recordaremos as vítimas das perseguições nazis com um minuto de silêncio.

Campo de Concentração de Auschwitz1-Birkenau
Campo de Concentração de Auschwitz2 - Pavilhões 
Campo de Concentração de Auschwitz2 - Camaratas

A nossa viagem está longa e não iremos às Minas de Sal e outras maravilhas que encantam os visitantes. Vamos descer o Rio Dunajec no Parque Nacional Pieniny, uma fantástica viagem em grande velocidade, a caminho de Cracóvia.

Descendo o Rio Dunajec

Chegados a Cracóvia vamos visitar a sua famosa Catedral de Wawell com as sua capelas Vasa e Sigismundo:

Cracóvia, Catedral de Wawell

Cracóvia, Rua de S. Floriano

Cracóvia, a barbacã

Teríamos ainda muito mais para visitar...ficará para uma próxima viagem. Por estarmos perto, não se pode perder a cidade de Zakopane, quase encaixada na Eslováquia.


Em Zakopane diremos adeus à Polónia. Do outro lado chegaríamos rapidamente à tão bela cidade de Lviv na Ucrânia...mas poderá ficar para outra viagem.  

Por hoje, resta-nos uma fraterna despedida e agradecer a Vossa Companhia. 

Com votos de um Bom Domingo.


domingo, 16 de julho de 2017

SINTRA: PÁGINA A NEGRO, SEM BASÍLIO HORTA NA BENFICA TV

Não fizemos censura...nem eliminámos a entrevista dada por Basílio Horta num programa da Benfica TV. Que se passou então? UMA PÁGINA A NEGRO...



Na altura, remetemos para a página do SintraNotícias (que inseria o momento alto da Benfica TV) e, pelo contexto, poderia dar um jeitão à promoção politica.

Ao invés do certamente desejado, Basílio Horta entrou por caminhos escorregadios, momentos quase dramáticos no pós 25 de Abril, fez do benfiquismo familiar uma resenha que deu boa disposição a muita gente e anunciou milhões comprometidos.

Mal preparado para o tempo de antena, depois de anos com alusões negativas à gestão anterior...daria a Fernando Seara - na TV - todo o mérito pelo que ele fez. 

Houve, até, um momento alto: - Aquele das "cunhas" com que Fernando Seara lhe atou uma pedra ao pescoço e deixou sair a frase do "empurrão democrático".

Pressões para a retirada do vídeo?

Pois é verdade...o vídeo incomodava, retirou fôlego aos entertainers dedicados - não ao futuro de Sintra como lhes compete - mas à alusão aos últimos 12 anos passados.

Hoje, com  estupefacção, vemos que no lugar do vídeo que citámos se encontra uma página negra, apenas com uma frase: - "Este vídeo é privado". 

Perdemos um dos momentos mais clarividentes dos políticos que temos.   

Encoberta a verdade, resta perguntar quem terá assumido o papel de zelador? Quem se terá prestado à censura da entrevista publicada?

Algum político? Alguma força? Algum clube? Alguém esquecido da liberdade de imprensa e de que o 25 de Abril foi exactamente para acabar a censura?

Em que gabinete o acto foi decidido? 

24 DE ABRIL NUNCA MAIS. 


Nota: Pedimos desculpa mas somos alheios à impossibilidade de acesso ao vídeo que esteve disponível. 


sábado, 15 de julho de 2017

SINTRA, ALEGRIA PELAS ÁRVORES QUE PLANTAMOS...

Se outro mérito a nossa vida não merecer, pelo menos a alegria pelas árvores que plantamos e pelos filhos que temos. 

Hoje foi a primeira grande colheita...a que nos traz recordações...a que, quer queiramos quer não, nos faz recuar no tempo, na vida, em tanta coisa mais. 

Da pereira carapinheira já aqui falámos há dias (por favor clique para rever) mas é sempre gostoso mostrarmos como ela este ano se carregou de belos frutos. 


Não há - porque não pode haver - fruta mais biológica que a nossa. Desde a primeira hora da plantação (que já leva 20 anos), nunca uma química, a pretexto do que quer que fosse de praga ou doença, foi lançada sobre ela. Até da poluição está livre.

Batida fortemente pelos ventos quase todo o ano, mais fortes nestes últimos dias, muitas peras foram atiradas para cima da rede que à volta dela se colocaram, evitando que os frutos se danifiquem e não possam ser apreciados devidamente.


Hoje foi o nosso primeiro grande dia de recolha da nossa fruta, ficando a árvore ainda carregada delas e que ao longo dos próximos dias serão deliciosamente comidas.

Também a ameixieira deu os seus frutos, num colorido que tanto apreciamos e sabores diferentes de todos os que conhecemos. 

É bom sabermos que, na vida, as nossas árvores nos fazem felizes. 

UM bom fim de semana para todos.