segunda-feira, 16 de julho de 2018

SINTRA: SENHOR PRESIDENTE, COMO SE JUNTAM MILHÕES...

Nunca, como desde que Sua Excelência gere a nossa vida colectiva, se passou a dar crédito a histórias de pedintes com contas bancárias bem recheadas.

Não pelos pedintes terem sido autarcas, mas pela prática excessiva ou doentiamente obcecada por aferrolhar, sendo - eles - muito discretos com o pecúlio. 

No caso, Sua Excelência fala - se com auditório sensível ou receptivo - em muitos milhões já em Caixa e deixa a promessa de muitos mais a um certo prazo.

Estamos a ver a audiência de boca aberta, imaginando alguns com ar guloso e olhos quase cerrados em semi-sonhos de grandes negócios futuros.  

Estamos convictos que Sua Excelência não se estará a enganar nos zeros e, embora em milhões se estribe, não os convida para visitas livres ao território de Sintra.



A primeira foto mostra lixo que já por lá descansa há mais de duas semanas, complicando a vida de rataria que corre o risco (e às vezes é...) de ser atropelada.

E, se Sua Excelência desconhecer o que é a Leptospirose e os perigos que a mesma encerra, nem ficará incomodado com as suas consequências.

A segunda foto mostra o abandono por aquela zona da UF de Sintra, onde quem passa se lembra imediatamente da eficácia financeira de Sua Excelência.

Infelizmente Sua Excelência não nos dirá com quanto contribuem estes dois exemplos (multiplicados por tantos outros) para o dinheiro arrecadado.

E, ao contrário do que se possa dizer, não é por má vontade ou empenho de quem deveria cumprir ambas as tarefas, mas certamente pelas restrições de poupança.

Não deixa até de ser quase aberrante que o Governo não consiga reduzir a dívida pública e Sua Excelência fale na disponibilidade camarária de tantos milhões. 

Sua Excelência já compreendeu que "#não é este o caminho" prometido?

Sintra não merece isto. 


sexta-feira, 13 de julho de 2018

SINTRA: SUA EXCELÊNCIA MERECE ISTO...

CARREIRA 467, MALDADE AO MAIS ALTO NÍVEL...

A pretexto das alterações no trânsito verificadas em 26 de Março (merecedoras de um ou dois rasgados elogios) a carreira 467 da Scotturb foi a escolhida para o êxito.

Segundo o Horário de Verão, no conjunto das carreiras 403-417-418-433 e 467 seriam feitas 129 circulações diárias passando pela Estação da CP em Sintra.

Todas continuam a ir à Estação da CP, excepto a 467 (20 circulações, sendo das 9 às 16 de hora a hora) nitidamente expulsa de ir a Sintra, perto do Centro de Saúde.

Ou seja, seriam 15,503% das circulações que travavam o brilho do retumbante êxito.

Autores, estudiosos e decisores, sem omitirmos um louvador (serão dois?) merecedor da devida recompensa, desprezaram munícipes e utentes da carreira 467.

E Sua Excelência, sabendo sem corrigir, obrigou muitos dos seus eleitores a mais custos com comboio entre Mem Martins e Sintra para chegarem ao Centro de Saúde.

Tais utentes, de forma alguma poderão estar gratos a Sua Excelência pelos incómodos causados: - perdas de tempo, transbordos e quantas vezes mais custos.

O que foi decidido transporta-nos ao final do mandato em 2001 e recupera uma maldade inqualificável que foi dada sem efeito já no mandato de Fernando Seara.

Nem com a maldade os decisores brilharam 

Tudo seria fantástico se a desconsideração feita às populações e muitos trabalhadores tivessem feito Sua Excelência brilhar no firmamento sintrense. 

Nem brilhou, nem passados quatro meses conseguiu evitar as vergonhosas imagens hoje captadas junto à Vila de Sintra, perto do tal casco que é citado por eruditos




Poderá Sua Excelência confirmar aquilo que já nem no terceiro mundo se vê: Venda ambulante de circuitos com entradas e saídas em plena via, confusão, tudo. 


Sua Excelência deveria ter visto a cara do condutor do veículo que sobe e só por distracção de agentes (às vezes são quatro) seguiu pela Volta do Duche.


Acredite Sua Excelência que a vergonha desta situação cada vez nos envolve mais. 

Sintra é que não merece isto. 


segunda-feira, 9 de julho de 2018

SINTRA: SENHOR PRESIDENTE, TRATEMOS BEM OS VISITANTES

"Conselho" do Turismo...ainda não há...

O Senhor Presidente faz-nos passar por cada coisa...como seria bom vestir a pele de quem demanda Sintra, busca instalações sanitária dignas...mas não encontra.

Partindo do princípio de que Sua Excelência também terá necessidades fisiológicas (situação muito comuns entre humanos) sugerimos que vista a pele de outros. 

Imaginamos Sua Excelência a utilizar transportes públicos na caminhada para Sintra, aflito em busca de um WC higiénico e adequado aos fins previstos e...NADA! 

Confessamos: - Essa falha levou-nos, no passado dia 5 deste mês, a pedir desculpas em nome de Sintra, fazendo segredo do nome de Sua Excelência por razões óbvias.

Era um grupo de visitantes polacos, de Posnan, e as Senhoras acabariam por utilizar as reduzidas instalações sanitárias...recorrendo também às dos Homens.

Ficaram aflitas ao ver um ou dois exemplares masculinos a aproximarem-se e tivemos o cuidado de as acalmar (esperando) numa atitude de boas vindas.   


Tinham saído cedo do hotel, fila na estação do Rossio e dois comboios por hora, 40  minutos num comboio sem WC, caminhar até à Vila. Estavam desanimadas.

Falámos-lhe da Polónia, do Palácio Real em Varsóvia, da Praça do Mercado, da Barbacã, do Museu de Maria Curie, do Monumento a Chopin no Parque Lazienki...

Que sabíamos das vítimas do nacional-socialismo e seu lider Adolfo Hitler, viagem que muitos políticos portugueses deveriam efectuar para a noção do passado. 

Para que a memória não esqueça - Rua Prózna com fotos de famílias desaparecidas

Tivemos tempo de referir a casa em Zelazowa Wola onde nasceu Frederic Chopin e só um gato preto tem a honra de se deitar no sofá que foi do grande compositor.

No sofá que era de Chopin

Desta simbiose cultural, com elas mais confortáveis, recordámos Cracóvia, Gdansk e tantas tão belas cidades limpas, onde se respeitam os visitantes.

Feitas as pazes, pedidas desculpas, acabaríamos por lhes dizer que uma equipa de "Conselheiros" estava atenta ao problema para implementar soluções sanitárias.

E como seria fácil tal solução se dela houvesse preocupação, nem que com utilização paga (por exemplo 50 cêntimos) como sucede actualmente pelo mundo fora.

Apeteceu-nos mentir. Dizer que se publicitou o destino Sintra sem se ter em conta que, antes, se deveriam ter estruturas que respondessem ao fluxo turístico. 

Caímos - para o bom nome de Sintra - nas catacumbas do "Clube das Mentirolas", de onde saltam as mais diversas miragens e que arautos se encarregam de espalhar. 

Turismo não é coisa de fogachos

Estamos num mês com grande fluxo de turistas nacionais e estrangeiros, sendo o Parque dos Castanheiros um local muito procurado para merendar e descanso. 

Era esta a imagem desta manhã...dos 134 milhões que Sua Excelência agita amiúde, quanto foi conseguido ao não reparar o equipamento danificado? 

Mesa partida que não é de hoje

Banco partido com visíveis sinais de não ter sido agora

Que dizer disto, Senhor Presidente?

Claro que Sua Excelência sabe o que é Turismo, então não havia de saber. Sabe perfeitamente que promover um destino obriga a infraestruturas qualificadas.

Hoje, em que tais visitantes não nos lêem - mas outras irão sentir este problema - fica-nos a dúvida determinante: - Será que Sua Excelência se sente bem com isto?

Será que Sua Excelência tem a sensibilidade exacta, a necessária para poder avaliar a incompatibilidade entre promoção do destino e a incapacidade de resposta?

Enquanto conversávamos com aquelas visitantes, tivemos o cuidado de as desviar na direcção do Palácio Nacional, para que não vissem o "Património" do outro lado.  

Era a fachada do Paris mostrando as agressões ao Património, sem que se sintam acções por parte da Autarquia para que se responsabilize, tal como no Central. 

Este pedacinho da fachada do Paris deveria envergonhar alguns dos Conselheiros de Sua Excelência...tal como a Estrutura que, com benevolência, é mantida no Central   

Obras a decorrer no edifício do Paris? 

Não acreditamos que decorram obras neste edifício pois não vemos nenhuma Placa ou Aviso a identificá-las, mas os azulejos vê-se como estão e mais se verá...

Insistiremos até que sintamos em Sua Excelência o empenho nas soluções adequadas, para que não sejamos obrigados a pedir desculpas como recurso. 

Enquanto isto se passa, Sua Excelência viverá na nuvem dos milhões, ontem 134, amanhã uns tantos mais, prontos a justificar obras, mas com eleições ainda longe...

Quem verdadeiramente ama Sintra não se conforma com a dolorosa aventura que estamos vivendo aqui e ali ou no naipe de promessas que constroem a Sintra Virtual.

Resta-nos pedir a Sua Excelência que atente, 

Atentamente o esperamos. 

Sintra não merece isto. 


domingo, 8 de julho de 2018

SIRMIONE E VERONA, NOSSO PASSEIO DESTE DOMINGO...

Manhã cedo sairemos de Bréscia para visitarmos Sirmione, na Província Italiana de Bréscia, à beira do Lago Di Garda, numa península cheia de história.

A sua história aponta para a existência de habitantes alguns séculos Ante de Cristo.


Castelo visto do Lago Di Garda

Perto do Castelo, num Posto da Polizia Municipale, com apoio da Polizia Nazionale é controlada a entrada de viaturas, só autorizada a residentes e hospedes de hotéis.


Castelo Scaliger por onde se entra na Cidade Velha

Podem pois os visitantes passear livremente nas sua estreitas ruas, frequentar as suas múltiplas lojas e programar um dia completo para gozar daqueles espaços. 



Os passeios de barco, nos canais e à volta da península, dão-nos muito prazer, podendo apreciar-se algumas das belezas de Sirmione, entre elas as Grutas de Catullo. 

Ruínas de Catullo vistas do Lago


Nas ruas estreitas não nos deparamos com lixo espalhado pelo chão, havendo da parte dos habitantes o maior cuidado com a conservação dos espaços. 

Podemos garantir que é um dos mais belos trajectos a visitar, com muita simpatia por parte das populações, educação, calmo e culturalmente cheio de interesse. 

Depois de almoço teremos de passar pelas várias casas de gelados, que concorrem fortemente umas com as outras, sendo difícil apurar-se quais os melhores. 

Nesta grandiosa geladaria encontraremos, pela certa, as mais diversas combinações e opções de tamanho que podem atingir mais de um quilo. 


Os meus caros convidados descansem: - Gentis jovens, aos balcões, fazem questão de lhes oferecer amostras para escolherem os que mais gostam.

Estamos já a preparar o regresso mas, estando tão perto, vamos visitar Verona, a tão bela Verona, dos apaixonados e amantes de amores loucos:

"Não deixarei a fé e caridade eterna"

Desfile matutino, com centenas de ciclistas desde bébés a mais idosos

A janela de Julieta, local de tantos sonhos...ou desilusões

Faz-se tarde. Temos de avançar nas nossa descobertas por esse mundo fora...

Estaremos convosco nesta viagem.

Que a tenham vivido e sentido, são os nossos votos.

Um resto de Domingo bem passado e boa viagem de regresso.