quarta-feira, 23 de agosto de 2017

SINTRA, ANDAM UNS PATIFÓRIOS À SOLTA...

Enquanto dormimos, uns patifórios a quem o trabalho não cansa e que beneficiam da pouca presença das autoridades, dedicam-se a danificar bens alheios.

Casas, muros e garagens, onde os donos investem economias para as melhorar e se cansam - quase sempre - a pintá-las, surgem pela manhã emporcalhadas. 

Os dinheiros públicos são rapidamente postos em causa, ou num abrigo de transportes, ou numa pintura em equipamentos urbanos. Na Abrunheira:

A última façanha destes energúmenos

Há uns dias, a façanha teve outros contornos numa viatura que estava estacionada:


Sabemos de situações em que o proprietário limpa tudo, pinta de novo e...dois ou três dias depois, tudo fica agredido, causando novos trabalhos e despesas. Mais:






Esta é uma pequena amostra do que, impunemente, tem sido feito ultimamente.

São as autoridades que devem investigar para responsabilizar os autores. 



segunda-feira, 21 de agosto de 2017

SINTRA: IMI NO FANTÁSTICO MUNDO DO SITE CAMARÁRIO

O site camarário que é nosso...de todos

Somos do tempo em que as forças de oposição tinham espaço camarário disponível, onde expressavam as suas opiniões, projectos e perspectivas de futuro para Sintra.

Hoje, certamente com a concordância (não se conhecem posições contrárias) de todas as forças que constituem a Coligação que governa Sintra, esse direito acabou. 

O site camarário - de todas as forças eleitas - que todos suportamos, está apenas em serviço parcial, com aparente centralismo.

E os democratas que exultem...que convivam...deixando outros de fora. 


Redundante invocação do IMI


INQUÉRITO À MAJORAÇÃO DO IMI

tal como o Presidente da Câmara prometeu à TSF em 13 de Abril deste ano. Aguardemos que a TSF reveja o conteúdo do prometido naquele dia. 

E, se desiludido por, passados 130 dias, nada se saber do cumprimento da palavra dada pelo Presidente Camarário Basílio Horta, mais espanta o site camarário. 

Com efeito, hoje e bem cedo, no site e à esquerda - temos em "caixa" bem destacada: SINTRA DEVOLVE 8,1 MILHÕES EM IMI - MENOS IMI PARA TODOS 


ligando qualquer incauto à (des)notícia de 13 de Abril, saída após a confusão gerada pela aplicação da Majoração, onde a foto de Basílio Horta se destaca. Ao "DEVOLVE" corresponde ""No final do ano de 2017...terá devolvido..."


Isto, em Política e na vida, tem um nome.

Trata-se, tudo o indica, de um fantástico site, que um dia destes qualquer Organização se lembrará de premiar pelas boas práticas. 

O que admira é a passividade com que isto se passa. 

Sintra não merece isto. 


domingo, 20 de agosto de 2017

MILOSZ...OS TEMPOS, TECNOLOGIA E SENTIMENTOS


Passou-se há dias...Milosz, gentil fotógrafo à lá minuta, na sua Excelência, propunha-se tirar-me uma foto para recordação futura, tal como nos tempos em que era criança.

Por momentos, revi o homem magro que, praia fora, com máquina e expositor de fotos ao ombro, nos fazia correr para vermos alguma jovem em fato de banho...

Pensava, na inocência de uma criança, que as fotos mostravam a alma.

Recordei que, esse mistério das fotografias, me fez comprar a meio dos anos 50 do século passado uma máquina Zeiss Ikon com um fole que parecia pano encerado.

Usava rolo largo, ajustava-se a abertura e a velocidade, um clique e, um pequeno manípulo, rodava para nova fotografia. A revelação, mais tarde, mostraria a obra.

Com a evolução tecnológica, nos finais dessa década, a máquina de fole descansou e foi substituída pela Arette IB para filmes em 35mm que aqui mostro: 



De então para cá, várias máquinas têm acompanhado a minha vida, sabe-se lá perseguindo que sonhos, que ilusões, que sentimentos escondidos nos rostos.

Sinto que perdi esse meu projecto, esse desejo de conhecer para estar avisado.

Milosz e os sentimentos

Com cortesia, senti-me na obrigação de dizer a Milosz que, ao longo das vidas, todas as fotos esbarram com os rostos, sem sabermos o que está para além deles.

Até hoje, nenhuma tecnologia ainda conseguiu que - para lá do rosto - se acedesse ao pensamento, aos sentimentos, às emoções que disfarçamos quando podemos.

Talvez seja bom para todos nós. Pelo menos, para os que guardam momentos belos ou de sofrimento. De sonhos realizados ou sem resposta. As dores da desilusão.

Como seria útil, ver-se - por detrás de um sorriso farto - a realidade dos pensamentos, os princípios nos procedimentos, os sentimentos tantas vezes falsos.

Preferi dar-lhe um abraço de saudade pelos tempos da infância, pelas fotos que, em tempo curto, me faziam sonhar vendo aquele escaparate cheio de outras vidas. 

Nesse abraço, sem palavras, ficaram muitas palavras e sonhos.  


Felizmente a tecnologia ainda não consegue evitar que sejamos humanos.

Um Bom Domingo para todos e...para o Milosz. 


quarta-feira, 16 de agosto de 2017

SINTRA: SR. DR. BASÍLIO HORTA, CONHECE "O CAMINHO" ?

Alguns seguidores de Sua Excelência andarão atarefados na colagem de painéis políticos onde um rosto parecido pretende deixar a mensagem "#é este o caminho".

À direita, em baixo, o símbolo partidário é subalternizado ((é no Partido que se vota), sabendo-se que no Marketing Político a imagem a reter deve estar em cima. 

Temos então Sua Excelência como dinamizador extra-partidário de um "caminho" que não conhece e que parece prometer seguir, sem que os passos sejam adequados. 

Se Sua Excelência conhecerá tão mal o caminho que o rodeia, como se permite garantir que "# é este o caminho" sejam quais forem as intenções que persegue?

Vamos mostrar-lhe o desleixo em 436 metros (a partir dos Paços do Concelho) que quase todos os dias percorrerá. Sem zeros a mais ou a menos...consoante o gosto.

Se a mais ambicionar, teremos todo o gosto em lhe mostrar muitos mais "caminhos" para os quais o slogan "# é este o caminho" soa a falsidade a toda a prova.   

Imagens inacreditáveis 


Sintra, Rua Alfredo Costa, junto ao edifício da Vereação Financeira

Esta imagem ficará no arquivo do surrealismo Sintrense desde que Sua Excelência por cá apareceu. Nem os "entertainers"  poderão dizer que é de outro tempo...

No logradouro camarário, na Rua Alfredo Costa, a árvore passou a estar suportada com uma pesada peça de pedra talvez retirada de outro património. 

Por favor aprecie a imagem: - verá articulação do portão desactivada e o mecanismo com sintomas de não estar com muita saúde. E o artesanal suporte?

Fazemos votos para que ventos fortes na copa da árvore não façam ceder o pilar do portão, com consequências desastrosas associadas ao derrube.

Vinte (20) metros à frente, no Casal de S. Domingos (onde Sua Excelência passará quase todos os dias) o desleixo não lhe permitirá dizer que "# é este o caminho".   

Sintra, Casal de S. Domingos...espaço camarário que desmente o "slogan" eleitoral
      
Menos de 100 metros mais acima, #é este o caminho" que Sua Excelência tem mantido há longo tempo, onde passa e passam, também, milhares de visitantes:

Se aqui também "# é este o caminho"...Sua Excelência ignora Sintra

Tudo na mesma rua ...é obra, certamente, de que não se orgulhará.

A menos de 100 metros, mais acima ainda, na Alameda dos Combatentes da Grande Guerra, continua por recuperar parte dos degraus juntos à Rua Alfredo Costa. 

É um perigo permanente, riscos de queda. Tão barata a reposição dos degraus

Será que Sua Excelência, candidato que usa o slogan #é este o caminho" conhece realmente o caminho? Será assim que julga convencer das virtudes de autarca?

Não é, não pode ser "# este o caminho" sonhado por milhares de sintrenses. 

É um caminho de escolhos...que obriga a escolhas.

O slogan de ocasião não melhora o caminho, apenas ilude. 

Os Sintrenses merecem mais e melhor Futuro.


domingo, 13 de agosto de 2017

BIELORRÚSSIA, PARA UM BELO E CULTURAL DOMINGO...

A Bielorrússia é um país independente desde 1991 que integra a Federação Russa. Com muito controlo nas entradas, é preciso um visto prévio na embaixada em Paris.

Morosas as entradas e saídas, com um impresso (se necessário agrafam-se outros) para os hotéis confirmarem as estadias, documento indispensável para a saída.

Uma das páginas com carimbos/confirmação dos hotéis

País mais de duas vezes maior que Portugal, quase metade é ocupado por florestas e tem abundância de água nos campos. Tem a mesma população que Portugal.

São raros os ocidentais. Fala-se russo e bielorrusso (mais parecido com o ucraniano).

O salário médio é de 400 $USD. Preço dos combustíveis a rondar os nossos 60 cêntimos e o metropolitano custando 30 cêntimos do Euro. Muita oferta alimentar.  

Um País com muita riqueza histórica

A Bielorrússia no Século IX integrava o reino de Kiev. Mais tarde foi ocupada pela Lituânia, Polónia e, em 1939, a Bielorrússia foi anexada à antiga União Soviética.

Da antiga União Soviética podem ver-se as ruas largas (chegam a ter 4 faixas de rodagem em cada sentido), grandes praças e monumentos de elevação patriótica.

Minsk, Praça da Independência 
Minsk, Obelisco com a chama eterna 

As praças são locais vivos de Cultura. Há esculturas por todo o lado. 

Minsk,  este banco - a quem se sente nele - toca uma peça de um famoso compositores bielorrusso.

Há grandes edifícios para espectáculos: Casas de Teatro, Ópera e Ballet.

Casa de Congressos e Teatro 

Nas ruas, da capital e da província - sempre muito limpas - não se vêem graffitis.

Procurando não nos alongar, visitaremos alguns Monumentos declarados Património da Unesco, começando pelo Castelo de MIR: 

Castelo de MIR
Castelo de MIR - Tecto do Salão

Seguimos para o Castelo de Niasvizh, Património da UNESCO desde 2006

Castelo de Niasvizh 
Salão no Castelo de Niasvizh
Castelo de Niasvizh: a beleza da tela em óleo "Suzanna e os Velhos" de autor desconhecido

Em Niasvizh veremos a Igreja do Corpo de Cristo, também Património da Unesco:

Niasviz, Igreja do Corpo de Cristo

Estaremos em Viciebsk para visitar a Casa-Museu do pintor Marc Chagall, onde observaremos alguns dos objectos que fazem parte do espólio do artista:


ViciebsK, o obelisco 

Vamo-nos aproximando de Brest para visitar a sua histórica fortaleza onde tantas vidas se perderam e que hoje são recordadas com as maiores honras:

Acesso principal à Fortaleza de Brest
Monumento de homenagem à força da resistência

Monumento que representa a sede e a força 
Entrada Histórica da Fortaleza, com o nome do herói que neste local foi executado

A viagem está sendo longa e há tanto para vermos. Por exemplo a arte de rua, expressa em candeeiros sobre os mais diversos temas. Em Brest, escolhemos estes:



Em Navahrudak, visitaremos a Casa Museu do poeta Adam Mickiewicz...


E, no jardim próximo, veremos estes candeeiros, entre outros maravilhosos...





Em Lida, poderemos ver como se homenageia um viajante de comboios...


Ou em Polotsk o monumento a uma letra do alfabeto bielorrusso que é única no mundo.


Vamos regressar a Minsk com tanta coisa bela para ver. Deixamo-los com a chamada para as preces no Mosteiro de Santa Eufrosina, perto de Viciesbsk:

video


Antes do regresso, passaremos por um dos mercados de Minsk e apreciaremos a sua limpeza e oferta dos mais qualificados produtos de produção agrícola. 


video

Chegou a hora de regressarmos, ainda com tantos motivos de interesse para visitar. Entre eles os variados pavilhões destinados ao desporto, as faculdades. 

Deixamo-los com uma última escultura: De homenagem a uma professora: 


Estamos de volta...bom regresso e...fraternalmente,

Votos de que passem um Bom Domingo.







sexta-feira, 11 de agosto de 2017

SINTRA: SR. PRESIDENTE, TAMBÉM SERÁ RESPONSABILIZADO...

Breve reavivar da História - A UNESCO

Embora fosse legítimo, não duvidamos que Sua Excelência sabe o que é a UNESCO. É a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura.

Dizê-mo-lo para ajudarmos ao discernimento de meia dúzia de personalidades que, com responsabilidades, parecem assobiar para o lado...preferindo falar em milhões.

Ora a UNESCO, com o suporte de conhecedores da Sua Riquíssima História, em 6 de Dezembro de 1995 classificou Sintra Património Mundial e Paisagem Cultural.

Protecção Ambiental e Salvaguarda de pessoas e bens na Serra

Descansará Sua Excelência pois não iremos falar na elevada concentração de trânsito na Vila de Sintra e à sua volta, face à incapacidade de a ter resolvido.

Há dias - dizem-nos - havia uma fila de carros parados entre o Ramalhão e Seteais...

A divulgação em Janeiro deste ano de um Protocolo para Sapadores Florestais (p. favor clique para ler), com 5 (cinco) sapadores florestais, deu-nos que pensar.

Várias vezes subimos até à Pena, e nunca por perto nos apercebemos de vigilantes ou outras equipas de bombeiros prontos para o ataque a qualquer evento grave.

video
Esta manhã às 9,05 horas...

Às 10,30 horas, o mesmo "parque de estacionamento" já estava assim:

video


Esta manhã às 10,44 horas

Face às imagens, duas perguntas - pelo menos - se colocam:

- Se Sua Excelência, Presidente da Câmara Municipal de Sintra com assento nas deliberações da Parques de Sintra e os Administradores da mesma, Dr. Manuel Baptista, Dra. Florinda Cruz e Dr. José Lino Ramos se sentem confortáveis;

- Como responderão na eventualidade de um risco que implique a evacuação rápida da Serra e seus "parques" sem meios de combate e viaturas cheias de combustível.

Ora, pela parte de Sua Excelência sabem-se de milhões (certamente sem zeros a mais) para diversos fins mas não para soluções que salvaguardem a nossa Serra.

Há anos que se alerta para os perigos, para os danos ambientais resultantes do atravessamento da Serra de Sintra por milhares de viaturas ao longo do dia.

Também no Centro Histórico, na Vila que outrora era desejada pelos visitantes pelos seu ar puro, ainda Sua Excelência não investiu em aparelhagem específica para medição dos vários gases poluentes libertados por diversos tipos de viaturas.

Senhor Presidente, Sua Excelência também será responsabilizado pelo que está sucedendo, agora que está em final de mandato sem ter prevenido estes riscos.

Sintra não pode estar à mercê da sorte, exigindo soluções que têm sido descuradas.

Exactamente pelo exposto, não "#é este o caminho" que desejamos. 




quinta-feira, 10 de agosto de 2017

SINTRA E A AGRESSÃO AO PATRIMÓNIO DA UNESCO

Já aqui abordámos há um ano, mas parece termos gestores com limitações (por favor clique para reler) que concorrem para a degradação do Património Histórico.

Chegam-nos, volta não volta, os sons da aplicação de dinheiros, milhões a que se encostam outros oportunos vultos, a investimentos colados, como obra.

Os gestores da Parques de Sintra, em cuja Administração tem lugar a Câmara Municipal de Sintra, não se apercebem que é preciso resguardar o Património?

Nestes dias, com o afluxo desmedido e descontrolado de visitantes, quantos danos serão causados em pavimentos dos nossos Palácios tão históricos e da UNESCO?

Nos últimos dias, entre outros, visitámos espaços culturais onde ninguém se movimenta sem, previamente, colocar nos pezinhos uma protecção para o pavimento.


No Castelo de MIR (Património da Unesco) pedi licença a uma jovem para esta foto

A jovem, cujos pés estavam impecáveis, admirou-se de lhe tirar a foto, obrigando-me a explicar-lhe que em Sintra, Património da Humanidade pela UNESCO, ainda não tinha chegado essa Cultura de defender os Monumentos Históricos. 

No Castelo de Nesvizh, Património da Humanidade desde 2006, um grupo estava assim

Navahrudak, visita à Casa-Museu do poeta Adam Mickiewicz só com protecção nos sapatos 

O que se passa nos Palácios de Sintra, geridos pela Parques de Sintra, com milhões de pés o danificarem pavimentos historicamente sagrados é um atentado Cultural.

Será que isto ainda não foi entendido? Será que a Cultura e sua gestão não passa por estes cuidados e respeito pelo que herdámos e queremos deixar às gerações?

E, se a sua capacidade de proteger ou, até, o desconhecimento do que se faz por esse mundo fora, contribui para a dessensibilização, então aqui ficam amostras:


Higienicamente tratadas, não usadas, teremos todo o gosto em oferecer aos gestores responsáveis pela protecção do Património Histórico da UNESCO e de Sintra.

Teremos todo o gosto em explicar como se usa...e protege a História.

Por favor, não façam pensar noutras coisas...


segunda-feira, 7 de agosto de 2017

SINTRA, SR. PRESIDENTE...PODEMOS FALAR DE DESLEIXO?

Questões de Segurança Pública

Longe do modesto munícipe responsável pelo blogue a ousadia de pretender que Sua Excelência passe uma breve leitura - mesmo em diagonal - por estas páginas.

Primeiro, não queremos que Sua Excelência se disperse da realização de quantos projectos sonhados em três anos de vacas magras para os munícipes...para estarem agora (as vacas evidentemente) gordas, com milhões jorrando das glândulas.

Segundo que, com a proximidade eleitoral, há requintes de entertainers  afectos que não evitarão levar até ao interior do possível, as opiniões aqui expressas. Bem hajam esses dilectos mensageiros, imprescindíveis numa sociedade democrática.

Às vezes - não com lápis azul mas em missão de serviço quotidiano - ocultarão de Sua Excelência coisas que esburacam o caminho...deixando que, psicologicamente, os munícipes sejam levados para o campo onde se invista muito dinheiro. 

Em 12 de Abril deste ano (por favor clique para rever)  avisámos de uns semáforos que, em nosso entender (e desculpará...) estariam aguardando o cortar de fita aquando da sua ligação à energia eléctrica, talvez mais próximo das eleições...

Coisa pouca, fácil, barata, que ainda hoje está assim, quase 4 meses depois:

Na EN. 249, com as instalações do futuro Hospital CUF ainda dizendo "VENDE-SE" 

Será que somos só nós a ter visões?

Note Sua Excelência - já temos acanhamento por lembrar coisas estrambólicas - que há cerca de 15 dias na Rotunda (parece não ter ainda nome...) ao quilómetro  0,1 da EN 249-4 (parece que agora é EN.249-2...) um sinal de trânsito está assim: 



No local passam Autoridades do Trânsito, carros com funcionários Camarários para os mais diversos serviços no local ou imediações, mas ninguém terá providenciado para que tudo seja reposto de forma visível para os condutores?

Acreditará Sua Excelência nisto? 

Será "este o caminho" do nosso futuro? 

Agora só falta Sua Excelência saber.