sexta-feira, 17 de março de 2017

SINTRA, SR. PRESIDENTE, UM DIA COMO TURISTA E UTENTE (3)

Incapacidade de Bem Gerir um Destino Turístico 

Contamos com a paciência dos leitores e a sabida lhaneza do Sr. Presidente da Câmara (quase 4 anos de poder) por seguirem o convite de "Um dia como Turista" e "Utente".

Julgamos mostrar a Sua Excelência o desconhecido, pois, se assim não fosse, obrigar-nos-ia a outras dolorosas projecções sobre o conhecimento, quando quase diariamente surgem flashes sobre visitas aqui e ali, obras+obras+obras.

Felizmente, de Turismo nada sabemos, facto que nos ajuda a exigir um melhor futuro para Sintra e para os que nela vivem, tão iguais no Centro da Vila como nas Periferias.

Sua Excelência como Turista (e Autarca) sabe que arrastar o problema da concentração de viaturas no Centro Histórico, tem (maus) reflexos no Ambiente e na defesa da Serra. 

Os parques periféricos serão a melhor medida dissuasora das agressões, recorrendo-se a uma frota de viaturas mais ligeiras em permanente ligação, serviço que a Câmara Municipal deveria assumir na defesa dos interesses de Sintra e seu Turismo.

Então agora que, facilmente, todos nos apercebemos dos milhões disponíveis... 

Vamos levar Sua Excelência ao maior Parque Periférico Selvagem disponível para autocarros que transportam turistas visitantes de Sintra: - No Ramalhão: 

Em terra solta, com lama quando chove, em que mundo se encontra disto?

Tem um abrigo, para que os motoristas "descansem" até partir de novo

O estado do abrigo, a considerar em dias de chuva...

Um documento da Câmara Municipal de Sintra fixa regras...será prestigiante?

É disto que a Câmara promove (e a que custo) pelos Estados Unidos? Pela Europa? Até parece que se trata de promoções estranhas. De quem? Para quem?

Sabemos estar a incomodar Sua Excelência...que não sabia...a falta de tempo para estas coisas não pode ser invocada...vamos ajudar na resposta: - RESPONSABILIZE!

Na pele do Utente de transportes (que pode ser Turista)

As declarações do Presidente da Câmara (p. favor reveja) sobre a transportadora rodoviária preocupam pois podem ser lidas como estímulo a um serviço deficiente e menos consideração para com os utentes que são empurrados para a viatura privada.  

Iria arranjar problemas com a Câmara um operador de Cascais que tem na carreira 434 (da Pena) uma mina de rentabilidade (3€ por viagem) e os responsáveis pelo Turismo aceitam que muitos passageiros viajem de pé, aos tombos, pela Serra acima?     

Permitimo-nos sugerir que incumba alguém de lhe explicar os dados aqui publicados , que, em conjunto com as comparticipações camarárias para transportes escolares e elevados custos dos bilhetes, justificariam outra postura na avaliação da operadora.

Sem pachorra para louvar os neurónios de Sua Excelência, pedimos que estude a panóplia de tarifários de tal operadora, bilhetes que valem aqui e não valem ali, o consumo duplicado de bilhetes por transbordos nas ligações, os preços e muito mais.

Sendo uma Empresa Contribuinte Fiscal de Cascais, que aqui vem buscar altas receitas, talvez fosse exigível - para Turismo de Vizinhança - um corredor Sintra/Cascais. Ganhariam os dois concelhos...sem rivalidades serôdias.  

A defesa do Turismo de Sintra, a Defesa dos outros Utentes e Residentes, também passa pela melhor mobilidade...e essa exige medidas de Sua Excelência. 

O dia está chegando ao fim, com gosto lhe servimos de guia não credenciado.

Sintra precisa de Sintrenses que a conheçam e resolvam os seus problemas.




NOTA: Estávamos preparados para esta publicação, quando pessoa nossa Amiga e nascida em Sintra nos alertou para um vídeo publicado no Youtube, sobre a presença na BTL 2017. 

Independentemente de acordarmos ou não com a forma, o vídeo espelha a incapacidade de se saber gerir o Turismo de Sintra. segue o endereço: 

 https://www.youtube.com/watch?v=Hm_tX-Kd7r8


1 comentário:

carlos antonio disse...

A câmara de Sintra devia ter alguém nos seus quadros com a sua visão. Talvez um dia espero eu