quinta-feira, 18 de julho de 2013

SINTRA: VISITE A FALCOARIA NO PALÁCIO DE QUELUZ

DELICIE-SE COM OS FALCÕES NO SEU TREINO MATINAL
 

A Empresa Parques de Sintra - Monte da Lua, constitui-se - em cada dia - como a única entidade de relevo (máximo) na promoção e desenvolvimento turístico de Sintra.

Para que não surjam oportunistas de última hora, diga-se que a Empresa tem uma dinâmica própria que só ilustra os seus gestores e colaboradores, embora seja de capitais públicos, com a Câmara de Sintra accionista de apenas 15% do capital.

Entre as últimas realizações, temos a criação da Falcoaria no Palácio de Queluz, ocupando as antigas jaulas de leões, junto à Ribeira do Jamor.


Foi e é uma agradável surpresa. De súbito, perante o piar insistente de um bufo real, que viemos a apurar fazê-lo por ser jovem e querer chamar a atenção, entramos naquele espaço e ficamos maravilhados.   

video
 

Todos os dias, pelas 10,30 horas da manhã, nos Jardins - junto à Ribeira do Jamor - os falcões são treinados à vista dos visitantes.
 
 O jovem bufo real, ainda piegas
 
Programe para o próximo Domingo uma visita. ao Palácio de Queluz, recupere a história do nosso povo, imagine-se um Rei ou uma das Rainhas que passeou nos seus jardins, veja como uma comporta retinha as águas e, no local, se passeava de barco.
 
Com sorte, se passear pelo pomar, poderá mostrar às crianças um ou mais coelhitos selvagens, mas inofensivos, saltitando à vossa frente.

Depois tem a coudelaria, mas isso pode esperar por outro Domingo.

Não esqueça: se é munícipe de Sintra leve um documento que o prove, porque até às 13 horas de Domingo a sua entrada é grátis.



 

2 comentários:

Manel disse...

Que belissima oportunidade de apreciar o que de bom se faz por terras de Sintra... E ainda por cima sem pagar, os Sintrenses que saibam aproveitar...

Fernando Castelo disse...

Caro "Manel", infelizmente é pouco divulgado, tal como Sintra o não é junto de muitos munícipes. Quantos milhares de munícipes de Sintra nunca foram à Vila de Sintra? Porque os movimentos são, para as zonas mais populosas, em sentido inverso, isto é, quem mora em Casal de Cambra, Queluz, Massamá, Cacém, Rio de Mouro e até Mem Martins, vai trabalhar para outros locais fora (Lisboa, Almada, etc).
Pertenceria aos autarcas, se não andassem à procura dos seus interesses, promover o circuito inverso.